Blog‎ > ‎

A importância das metas nas organizações

postado em 3 de dez de 2012 12:01 por João Flávio de Freitas Almeida   [ 17 de abr de 2014 07:07 atualizado‎(s)‎ ]

Empresas inteligentes planejam estrategicamente suas operações e usam as metas para fazer que com que cada colaborador contribua para o objetivo coletivo. Usar metas para acompanhar e melhorar o desempenho das atividades e indicadores das organizações é uma estratégia vencedora. Descrevo aqui algumas dicas que aprendi para elaborar metas e fazer com que elas sejam seguidas.


A meta deve ser escrita em um período comum e disponível a todos por meio de um sistema de gestão de desempenho.  Esse sistema deve viabilizar o processo de gestão das metas. Este deve ser simples, descentralizado com autonomia nas pontas. Até mesmo o cadastramento e elaboração das metas devem ser planejados, dessa forma, o calendário de metas deve ser fechado antes do início do ano, para que cada colaborador possa planejar suas atividades e monitorar o plano de ação durante o ano para poder atingi-la. As vantagens de se fazer o cadastramento das metas antes de iniciar o ano a ser medido é que ajustes podem ser feitos com boa antecedência pelos colaboradores. Além disso, é possível alinhar melhor o impacto de cada meta no processo ou projeto alheio.


A composição da meta deve conter tanto indicadores globais, que reflitam a lucratividade de curto e longo prazo da empresa (EBITDA e CFROGI), quanto individuais, que reflitam o resultado da contribuição de cada indivíduo. Metas devem ser focadas em resultado, não em esforço. Como no conceito de metas SMART (específica, mensurável, atingível, relevante e limitada no tempo). As pessoas devem saber claramente quem é o responsável pela meta para que ela possa ser gerenciável e medida.


Metas operacionais são mais fáceis de serem determinadas, pois estão diretamente ligadas aos indicadores de desempenho operacional. Metas corporativas devem dar suporte às operações e projetos de forma a ajudá-los, sempre em alinhamento com o plano estratégico da empresa.


EBIDTA – Grande indicador com foco no curto prazo. Mede a geração de caixa da empresa e está muito ligado à atividade operacional

CFROGI – Indicador com foco no médio / longo prazo. Mede o quanto os ativos da empresa estão gerando caixa.