Blog‎ > ‎

Pesquisa Operacional, muitas empresas ainda desconhecem

postado em 28 de nov de 2012 04:39 por João Flávio de Freitas Almeida   [ 6 de mar de 2017 19:24 atualizado‎(s)‎ ]

A Pesquisa Operacional, uma ciência aplicada voltada para resolução de problemas reais, é desconhecida pela grande maioria de profissionais de pequenas e médias empresas. Esta ciência permite, através de modelagens matemáticas, redefinir operações produtivas ou serviços de modo a aumentar a capacidade destes sem a necessidade do aumento de recursos, os tornado, portanto, mais lucrativos.


Consultorias em Pesquisa Operacional são mais ocorrentes em grandes empresas pelo fato de este tipo de serviço ser geralmente caro e, por isso, apenas as grandes empresas têm capacidade de investir dessa forma em suas operações. Daí o potencial de concorrência das mesmas. Entretanto, com a disponibilidade de softwares livres e o aumento da popularidade desta ciência no Brasil, a aplicação de técnicas de Pesquisa Operacional se torna viável à realidade das pequenas e médias empresas.

O objetivo do artigo é incentivar o uso esta técnica em pequenas e médias empresas, pois estas compõem 99% das empresas do Brasil, e não possuem estratégias de concorrência tão agressivas como as grandes empresas, o que ocasiona a perda de mercados e conseqüentemente de lucratividade.

Em geral, a maior parte das pequenas e médias empresas apresenta processos de planejamento estratégico incompletos, irregulares, informais e pouco sofisticados. Entretanto, o ambiente de concorrência global, no qual estas empresas estão inseridas, exige que, além do planejamento estratégico, estas tenham também capacidade de resposta imediata e um processo de tomada de decisões rápido e eficaz. Para que isso aconteça, a informação precisa estar disponível para as pessoas certas e no momento certo. Empresas que investem em tecnologia da informação como ferramenta de auxílio à tomada de decisão são geralmente mais competitivas.

https://www.planilhaideal.com.br/

A maioria das pequenas e médias empresas ainda armazena informações em planilhas ou arquivos textos, o que dificulta a implantação de sistemas especialistas, entretanto esta não é uma desculpa para que estes sistemas não sejam implantados. Para se desenvolver um trabalho de Pesquisa Operacional basta que as informações a serem analisadas estejam disponíveis. O desenvolvimento de um sistema de informação e a criação de um banco de dados confiável seria uma evolução. Esta atividade pode ser terceirizada se esse tipo de serviço não for o negócio principal da empresa.

Serviços personalizados em pesquisa operacional fazem o uso de técnicas quantitativas de modelagem de operações para proporcionar ganhos nos processos decisórios da alta administração. Para isso, é preciso que a empresa defina metas de curto, médio e longo prazo.

Especialistas que trabalham com esta técnica são capazes de identificar com precisão a maneira mais eficiente de produzir, transportar ou re-modelar operações de serviços. Essa categoria de profissionais tem se tornado cada vez mais valiosa para o mundo dos negócios, como pode ser visto na matéria de Carolina Meyer à edição de 21/09/2006 da Revista Exame.

Grandes empresas já utilizam da técnica para aumentar o potencial competitivo de suas operações de produção, armazenamento, transporte e prestações de serviço. Estas empresas não buscam softwares prontos, disponíveis no mercado, pois estes não fornecem informações intrínsecas de seus processos. Segundo Ricieri, um professor do ITA e consultor em pesquisa operacional para empresas como Vale e Petrobras, “as empresas não querem mais softwares empacotados. Elas querem soluções personalizadas". Isso que faz com que a técnica tenha uma infinidade de aplicações, pois cada caso é um caso.

Corporações como Procter&Gamble, IBM, Philips, FedEx e Wal-Mart têm confiado em equações matemáticas para melhorar suas linhas de produção, logística. Outro setor que tem utilizado a técnica com intensidade cada vez maior é a indústria automotiva americana. Montadoras como a General Motors têm se valido da matemática na tentativa de melhorar o seu desempenho. Por meio de complexas equações, os engenheiros da GM conseguiram identificar -- e resolver -- gargalos em 30 linhas de montagem, permitindo à empresa economia de mais de 2 bilhões de dólares.


Empresas buscam o aumento da produtividade. O uso de técnicas matemáticas em operações possibilita a solução de problemas da cadeia produtiva de forma mais eficiente.

A Pesquisa Operacional, embora exista desde os anos 70, só agora vem conquistando as empresas. Grandes corporações têm usufruído da técnica para aumentar a produtividade e eficácia de suas operações. Falta, agora, que as pequenas e médias empresas descubram o potencial que esta técnica tem a oferecer às suas operações para começar a competir de igual para igual com as grandes corporações.