Blog‎ > ‎

Planejamento integrado da cadeia de suprimentos

postado em 28 de nov de 2012 07:53 por João Flávio de Freitas Almeida   [ 6 de mar de 2017 19:20 atualizado‎(s)‎ ]

Sistemas ERP’s (SAP/R3, Oracle, Baan, etc) são sistemas tradicionais que tendem a focar no nível operacional, e não possuem capacidade analítica para suportar decisões de planejamento de estratégicas. A implantação de sistemas ERP’s possibilita a integração de toda empresa, tornando-a mais eficiente. Entretanto eles não ajudam a resolver questões fundamentais do que deve ser feito, onde, quando e por quem. Esse é o papel de planejadores, apoiados por ferramentas de apoio à decisão, os sistemas analíticos Supply Chain Management (SCM).


Em contraste com os ERP’s as ferramentas analíticas SCM trabalham com dados por meio de algoritmos sofisticados e possibilitam gestores a tomar decisões mais eficientes, bem como entender o impacto de suas decisões estratégicas. Aplicativos analíticos SCM se baseiam em sofisticados algoritmos. Dentre estes podemos destacar algoritmos de programação linear, programação inteira mista, algoritmos genéticos e vários tipos de heurísticas. Esses algoritmos são, na maioria das vezes, propriedade do fornecedor do software. Grandes investimentos em P&D são necessários para se chegar até eles. Em função do nível de sofisticação, essa tecnologia é relativamente difícil de ser desenvolvida se a empresa não possui experiência na área. Sua utilização possibilita não apenas tomada de decisões melhores, mas também permite que os ciclos de planejamento deixem de ser mensais ou semanais e passem a ser diário. Essa agilidade de planejamento permite que a empresa se adeque com maior rapidez às variações do mercado.

https://www.planilhaideal.com.br/

Sistemas analíticos de SCM e sistemas ERP, embora possam ser vistos como concorrentes, possuem uma forte interdependência, pois a acuracidade da informação de sistemas SCM dependem da acuracidade de dados dos sistemas ERP. Por outro lado, a excelência buscada por eficiência operacional na rotina, coordenada por sistemas ERPs, só é atingida se orientada por sistemas analíticos de auxílio à tomada de decisão. Os sistemas analíticos de SCM são compostos por módulos que focam o planejamento nos três níveis segundo horizonte (longo, médio e curto prazo): Planejamento estratégico, tático e operacional. Estes módulos são interligados por informações comuns, embora tratem as informações em níveis com diferentes níveis de agregação.

Os módulos de planejamento são divididos em strategic planning, demand planning, master planning, inventory management, distribution planning, scheduling, transportation scheduling, procurement and fulfillment. Módulos de strategic planning são de longo prazo e modelam a cadeia de suprimento em si buscando maximizar lucros ou minimizar custos através da determinação da localização de centros de distribuição na rede ou decisão de abertura ou fechamento de unidades fabris. Módulos de demand planning utilizam de dados históricos e informações existentes correlacionadas para elaborar, através de métodos baseados em séries históricas, a previsão de vendas. Tanto modelos quantitativos quanto qualitativos (modelos causais) são utilizados na composição da previsão de vendas de uma empresa. O principal objetivo dos módulos master planning é fazer a sincronia do fluxo de materiais ao longo de toda cadeia, seja de forma ótima (otimizador) ou de forma predeterminada (priorizador). Como conseqüência é possível obter redução de estoques desnecessários ao longo da cadeia, determinar políticas de suprimento, planejamento e transportes. Em um nível hierárquico mais baixo e curto prazo, módulos scheduling geram, a partir de um plano mestre, um programa detalhado de produção com sequencias e ordens de produção fixadas. O planejamento de transportes de médio prazo é feito por módulos de distribution planning enquanto que no curto prazo essa informação é detalhada por módulos transportation schedulingMódulos de procurement e order fulfillment focam no relacionamento entre empresa e fornecedores, permitido que o processo de compras seja feito de forma eficiente, ou seja, sem riscos de grandes variações.