Blog‎ > ‎

Por onde começar em Pesquisa Operacional?

postado em 28 de nov de 2012 12:56 por João Flávio de Freitas Almeida   [ 17 de abr de 2014 08:17 atualizado‎(s)‎ ]
Tenho recebido boas críticas com relação às postagens no Blog e o que mais me motiva são as pessoas que entram em contato para pedir dicas de livros para desenvolver a habilidade em pesquisa operacional. Embora seja ainda um aprendiz, me sinto apto a compartilhar minha experiência de engenheiro de produção e sugerir alguma bibliografia, ainda que escassa. 
O motivo desta publicação, então, é apresentar o caminho  que segui para aprender Pesquisa Operacional. Pela própria formação, comecei aprendendo a "operação", depois me interessei pela "pesquisa" para entender como a "pesquisa operacional" se aplica à realidade.

Recomento a leitura inicial de alguns livros para entendimento de operações em sistemas produtivos e operações logísticas, afinal, modelamos operações e precisamos entender a importância das operações nas organizações. Pela minha formação, essas são as operações que mais tenho domínio. Logicamente o campo de atuação da pesquisa operacional é muito mais amplo, no entanto, muitos problemas industriais e logísticos são modelados por formulações clássicas, aplicáveis em diversos setores de tecnologia e serviços.

Em seguida, recomendo alguns livros que ensinam a modelar os problemas operacionais e logísticos por programação linear de forma simples e direta, pelo Excel™ sem se preocupar com a estrutura formal do modelo ou linguagens de programação. O objetivo desses livros é mostrar uma maneira intuitiva de elaborar problemas pequenos (toy problems) de forma direta.

Uma vez que a intuição em modelagem e a prática em programação linear estão um pouco mais sedimentados, o estudante naturalmente sentirá a necessidade de elaborar restrições mais específicas, com domínios mais restritos e perceberá que os modelos implementados em Excel™ já não oferecem tanta flexibilidade. Esse é o momento onde é necessário aprender elaborar formulações matemáticas um pouco mais formal. Paralelamente sugiro estudar simulação de eventos discretos, um método de representar os problemas reais em realidade virtual com nível de detalhe do modelador. Pela simulação podemos fazer análise de cenários futuros, passados, reais ou irreais. O importante é que temos o problema real modelado.


Com o conhecimento em formulações matemáticas, o aprendizado de uma linguagem de programação matemática algébrica se torna muito rápido. A forma como o problema é descrito computacionalmente se assemelha muito à forma como o modelo é escrito manualmente.

Finalmente o leitor pode se especializar em um tipo de problema e procurar livros com formulações específicas de seu interesse ou algoritmos especialistas para a resolução dos mesmos.

Pesquisa Operacional


  1. Lachtermacher, Gerson. Pesquisa operacional na tomada de decisões: modelagem em Excel. Elsevier, 2007.

  2. Taha, Hamdy A. 
    Pesquisa operacional. Pearson Prentice Hall, 2008.
  3. Hillier, Frederick S., and Gerald J. Lieberman. Introdução à pesquisa operacional. AMGH, 2013.
  4. Goldbarg, 
  5. BATALHA, Mário Otávio. "Introdução à engenharia de produção." Editora Campus (2008).
  6. M. C., et al. Otimização Combinatória. Campus, 2005.
  7. Arenales, Marcos, Vinicíus Armentano, and Reinaldo Morabito. Pesquisa operacional: para cursos de engenharia. 2007.
  8. Fourer, Robert, David M. Gay, and Brian W. Kernighan. AMPL: A mathematical programming language. Murray Hill, NJ 07974: AT&T Bell Laboratories, 1987.

  9. Makhorin, A. GLPK Linear Programming Kit: Implementation of the Revised Simplex Method., Glpk documentation, Moscow Aviation Institute, Moscow, Russia, 2001.
  10. Bertsimas, Dimitris, and John N. Tsitsiklis. Introduction to linear optimization., MIT, 1997.
  11. Birge, John R., and Francois Louveaux. Introduction to stochastic programming. Springer Verlag, 1997.
  12. De Neufville, Richard, and Stefan Scholtes. Flexibility in engineering design. MIT Press, 2011.
  13. Costa, Sueli IR, V. L. Figueredo, and Henry G. Wetzler. Álgebra linear. Vol. 3. Harper & Row do Brasil, 1980.
  14. Altiok, Tayfur, and Benjamin Melamed. Simulation Modeling and analysis with Arena. Academic press, 2010.
  15. Andrade, Eduardo Leopoldino. Introdução à pesquisa operacional: métodos e modelos para a análise de decisão. Livros Técnicos e Científicos, 1998.
  16. Chwif, L., Medina, A. Modelagem e Simulação de Eventos DiscretosISBN: 978-85-905978-2-7, 2010.

  17. Kelton, W. David, Randall P. Sadowski, and Deborah A. Sadowski. Simulation with ARENA. Vol. 3. New York: McGraw-Hill, 2002.
  18. Pochet, Yves, and Laurence A. Wolsey. Production planning by mixed integer programming. Springer, 2006.

Qualidade


  1. Costa, Antonio Fernando Branco. Controle estatístico de qualidade. Atlas, 2004
  2. Magalhães, Marcos Nascimento, Antonio Carlos Pedroso de Lima. Noções de probabilidade e estatística. IME-USP, 2000.
  3. Montgomery, D. C. and Runger, G.C. Estatística Aplicada e Probabilidade para Engenheiros–463 páginas.
  4. Campos, Vicente Falconi. Gerenciamento da rotina do trabalho do dia-a-dia. DG, 1998.
  5. Campos, Vicente Falconi. Controle da qualidade total. Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni (1992).
  6. Campos, Vicente Falconi. Gerenciamento pelas diretrizes (Hoshin Kanri); Management by policy (Hoshin Kanri). Universidade Federal de Minas Gerais, 1996.
  7. Vieira, Sonia. Estatística para a qualidade: como avaliar com precisão a qualidade em produtos e serviços. Campus, 1999.
  8. Cheng, Lin Chih. QFD: desdobramento da função qualidade na gestão de desenvolvimento de produtos. Blücher, 2007.
  9. Paladini, Edson Pacheco. Gestão da qualidade: teoria e prática. Atlas, 2004.

Produção


  1. Ritzman, Larry P., Lee J. Krajewski. Administração da produção e operações. Prentice Hall, 2003.
  2. Corrêa, Henrique Luiz, Irineu G.N Gianesi, Mauro Caon. Planejamento, Programação e Controle da Produção: MRPII/ERP, conceitos, uso e implantação. Atlas, 1997.
  3. Corrêa, Henrique Luiz, Carlos Alberto Corrêa. Administração de produção e operações: manufatura e serviços: uma abord
    agem estratégica
    . Atlas, 2009.

Logística


  1. Ballou, Ronald H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: logística empresarial. Bookman, 2006.
  2. CHOPRA, Sunil; MEINDL, Peter. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégia, planejamento e operação. Pearson Education do Brasil, 2004.
  3. Ballou, Ronald H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. Atlas, 1993.


Estratégia


  1. Zook, Chris, and James Allen. O Poder dos Modelos Replicáveis-a Construção de Negócios Duradouros em um Mundo em Constante Transformação: Elsevier, 2012.
  2. Kim, W. Chan. "A estratégia do oceano azul: coma criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante." Rio de Janeiro: Campus (2005).

Empreendedorismo


  1. Trias, de Bes. O Livro Negro do Empreendedor, Best Seller, 2010.