02-Análise de processos

Gestão de operações e inovação na Brasilata

Brasilata é uma empresa de capital nacional do setor de latas de aço brasileiro e possui quatro unidades fabris. Em dez anos, seu crescimento foi espetacular, o que dobrou seu consumo anual de aço. A empresa adota um modelo de gestão com a participação de todos os níveis, possui objetivos definidos para cada um dos stakeholders e possui a prática de melhoria contínua e aprendizado coletivo. Esse modelo de gestão é base para seus processos de inovação em produtos e processos e tem feito com que ela ganhe todos os prêmios às empresas do setor. A empresa não possui um centro de P&D nos moldes das indústrias de base tecnológica, no entanto, tem apresentado um ritmo de inovações elevado.

Sua área tecnológica é o chão de fábrica e todos podem participar de alguma forma, por meio de um sistema de garimpagem de idéias implantando por ocasião da introdução da filosofia de gestão Just in Time. 

Dessa forma, sugestões são estimuladas e agradecidas mesmo quando a ideia não se traduz em algo prático. As inovações nascem nesse ambiente de permanente brainstorming, onde as pessoas exercitam a criatividade e sentem confiança para dar sua contribuição, uma vez que percebem que a empresa também se preocupa com elas. 

  1. Quais problemas podem surgir na implantação de um sistema de sugestões como o realizado na Brasilata?
  2. Quais são as razões para o sucesso na implementação do sistema de sugestões da empresa?
  3. Como melhorar ainda mais o sistema de sugestões dessa empresa? Pense na participação de outros, como stakeholders.

Análise de processo por toda organização - Passo 1 ao passo 6 (124-127)
Documentando o processo (127-132)
Análise de dados (132-138)

Medidas de desempenho

Produtividade
A produtividade é uma medida básica do desempenho para as empresas, indústrias e processos. A produtividade é a valor dos resultados produzidos (produtos, serviços) dividido pelo valor dos insumos (salários, custos de equipamentos,...) usados.

A medição de produtividade pode ser feita de diversas formas, por exemplo: a produtividade da mão de obra é a medida de produção por pessoa ou hora trabalhada. Avaliações semelhantes podem ser usadas para medir a produtividade de máquinas, onde o denominador é o número de máquinas. A produtividade multifatorial é o índice de produção obtido pelo emprego de mais de um dos recursos usados na produção. Por exemplo, pode ser o valor do produto dividido pela soma de mão de obra, materiais e custos fixos.

Exemplo 1: Produtividade de mão de obra 
Em uma loja de móveis, três funcionários vendem 600 cadeiras em uma semana. Eles trabalham oito horas por dia, cinco dias por semana.

Solução:
produtividade de M.O. = cadeiras vendidas / horas de trab. = 600 cadeiras / (3 func.)(40 horas/func.) = 5 cadeiras/hora


Exemplo 2: Produtividade geral
Uma equipe de trabalhadores produz 400 unidades de cadeiras que é avaliada por seu custo padrão de 10 reais cada (antes de outras despesas e do lucro). O departamento de contabilidade relata que, para esse trabalho, os custos reais são de 400 reais de mão de obra, 1000 reais de materiais e 300 reais de custo fixo.

Solução:
produtividade geral = quant. e custo padrão / custos de M.O. + material + desp. fixas = (400 unid.)($10/unid) / $400+$1000+$300 = 2,35

Exemplo 3: Produtividade multifatorial
A taxa de treinamento para o funcionário da siderurgia Alfa é de cem reais por hora de treinamento. A empresa complementa com o valor igual à despesa de instrução do funcionário. O tamanho médio de uma turma para um treinamento típico de 3 horas é de 50 alunos. O custo de mão de obra é de 4.000 reais por treinamento, o de material é de 20 reais por aluno por classe e as despesas fixas são de 25.000 reais por treinamento.
  1. Qual a razão da produtividade multifatorial para esse processo de curso?
  2. Se os instrutores trabalham em média 14 horas por semana durante 16 semanas para cada curso de 3 horas com 50 alunos, qual é a razão de produtividade da mão de obra?
Solução:
A produtividade multifatorial é o quociente do valor do produto sobre o valor dos recursos de insumos.
Output: Valor do produto  = (50 alunos/treinam.)(3 horas/aluno)[($100 taxa de treinamento + $100 apoio da empresa)/hora] = $30.000/treinam.
Input:  Valor dos insumos = Mão de obra + Materiais + Custos fixos = $4.000 + ($20/aluno x 50 alunos/treinam.) + $25.000  = $30.000/treinam.
Produtividade geral = output/input  =  ($30.000/treinam.) / ($30.000/treinam.) = 1,00

A produtividade da mão de obra é o quociente do valor do produto sobre as horas de trabalho. O valor do produto é o mesmo que o definido acima: $30.000/treinam., portanto:
Output: Valor do produto  = (50 alunos/treinam.)(3 horas/aluno)[($100 taxa de treinamento + $100 apoio da empresa)/hora] = $30.000/treinam.
Input:  Horas de trabalho = (14 horas/semana)(16 semanas/treinam.) = 224 horas/treinam.
Produtividade da mão de obraoutput/input  =  ($30.000/treinam.) / (224 horas/treinam.) = $133,93/hora

Exemplo 4: Produtividade na moda
Rosa confecciona roupas. Durante uma determinada semana os funcionários trabalham 360 horas para produzir um lote de 132 peças de roupa das quais 52 eram 'secundárias' (tinham imperfeições). As secundárias são vendidas por 90 reais cada em uma loja outlet. As outras 80 peças são vendidas por 200 reais cada. 
Qual a relação de produtividade de mão de obra desse processo de fabricação?

Solução:
Output: Valor do produto  = (52 defeituosos x $90/defeituoso) + (80 peças x $200/peça) = $20.680
Input:  Horas de trabalho = 360 horas
Produtividade da mão de obra = output/input  = $20.680/360 horas = $57,44 em vendas por hora

Eficiência global de equipamentos

Calculamos a eficiência geral de equipamentos (OEE - Overall Equipment Efficiency) analisando as horas produtivas em relação ao tempo total disponível para operação.

Utilização - É o grau em que o equipamento, espaço ou mão de obra estão sendo usados e é medida como a razão entre a taxa média de output e a capacidade máxima (expressa como percentual). A maior dificuldade em se calcular a utilização encontra-se na definição de capacidade máxima. Por isso recomenda-se utilizar a taxa média de produção e unidades de tempo/produto enquanto que a capacidade máxima fica em horas disponíveis para produção. Usamos uma forma indireta de calcular a utilização no exemplo abaixo.

Utilização (%) = (taxa média de produção / capacidade máxima) x 100



Eficiência geral da máquina # 1
 ParâmetroFórmula Dias  Horas Valor 
 Horas totais  3124 744 
 Horas manutenção preventiva    40
 Horas manutenção corretiva    20
 Horas manutenção Horas manut. preventiva + Horas manut. corretiva    60
 Disponibilidade Física % (DF)1 - (horas manutenção / horas totais)   91,9% 
 Horas operadasHoras totais - horas manutenção   684 
 Horas de preparação - setup   30 
 Horas de entupimento   
 Horas de limpeza   20 
 Horas de perdas na utilizaçãoHoras setup + horas entupimento + horas limpeza   55 
 Utilização (%)1-(horas de perdas na utilização / horas operadas)   91,96% 
 Taxa efetiva (unid./h)   
 Taxa benchmark (unid./h)   
 Produtividade Taxa efetiva / taxa benchmark   66,67% 
 OEE - Eficiência GeralDisp. Física x Utilização x Produtividade   56,36% 
 Produção (unid.)Taxa benchmark x OEE x Horas totais   2.516 


Confiabilidade de processos

O conceito de confiabilidade de processos se assemelha ao de eficiência geral de equipamentos uma vez que analisa a dependência das máquinas como processo integrado e dependente.